"Estamos fazendo mais que outros municípios", afirma Secretário de Agricultura de Chã Grande - JORNAL FOLHA REGIONAL

Mobile Menu

Top Ads

Seja nosso repórter, envie sua notícia para o zap (81) 99772-8280

Mais notícias

logoblog

"Estamos fazendo mais que outros municípios", afirma Secretário de Agricultura de Chã Grande

10/01/2020
Foto: Rádio Cidade FM

Na manhã dessa sexta (10), Emerson Campos, Secretário de Agricultura do município de Chã Grande, concedeu uma entrevista ao Jornal da Manhã na Rádio Cidade FM 104,9 de Chã Grande. O programa apresentado pelo radialista Avelino Silva e por Márcio Santos, diretor do Jornal Folha Regional, tratou de vários assuntos sobre a pasta municipal.

Entre as pautas, o secretário pontuou a criação da rota ecoturística do município criada pela atual gestão a fim de fomentar o turismo na cidade ressaltando o papel da secretaria na criação de um trabalho de conscientização entre as associações rurais para preparar nossos produtores para abraçar esse novo momento.

O gramado do Estádio Barbosão também foi debatido. De acordo com Emerson, como 2019 foi um ano muito chuvoso e com várias agendas, foi necessário no final do ano passado tratar e cuidar de todo o gramado. "Tivemos que adubar e fazer alguns reparos na estrutura do estádio. Agora em fevereiro já estará totalmente a disposição dos nossos atletas para a realização de campeonatos organizados pelo departamento de esportes da prefeitura", afirmou.

Um outro ponto importante da entrevista, foi a distribuição da água nas cisternas da zona rural da cidade. Para o secretário, nos últimos meses um volume alto de pedidos de abastecimento de água têm chegado a Secretária de Agricultura. "Com um atendimento de mais de 12 famílias por dia, a demanda ainda é baixa diante da nossa realidade. Contudo, nós estamos fazendo mais que outros município para atender essas residências. Nós estamos fazendo mais que outros municípios, desde o momento que entregamos as cisternas até o momento que as abastecemos", declarou.

Ainda que a secretaria não consiga atender a todos de imediato, a programação prevê que a cada três meses todas as residências sejam contempladas com o abastecimento total, que deve ser usado exclusivamente no uso doméstico. "Essa água não pode ser usada para irrigação, criação de animais, lavagem de veículos ou coisa semelhante. Se essa água for usada apenas para a residência, chegará há mais de dois meses".