Últimas

latest

GRAVATÁ: Uma cidade cheia de buracos com um São João milionário. Pode?

16/06/2018

/ Da redação
Não é de se espantar que o período junino em Pernambuco é um dos maiores do País. Afinal, aqui, temos o melhor forró, as melhores comidas típicas e o melhor de tudo que é a garra de um povo batalhador que sabe se divertir como ninguém. Porém quando se fala em melhor São João de Pernambuco, claro que depois de Caruaru a famosa Capital do Forró, todos já sabem, o destino é Gravatá.

Gravatá fica situada em um trecho bastante acessível, pois é corta pela Rodovia Luiz Gonzaga, a BR 232 e com apenas 79,2 km de distância de Recife. Neste período do ano, o movimento cresce assustadoramente devido as atrações e nomes de artistas nacionais que sobem ao palco instalado no pátio de Eventos Chucre Mussa Zarzar.

Entretanto, o que não se pode esconder é a péssima qualidade das vias que o município vive atualmente. E para se comprovar isso, não é preciso muita coisa não, basta apenas você cruzar o antigo pontilhão férreo da cidade para ficar estarrecido com os buracos!

Inúmeros populares e turistas que descem pela Rua Dr. Amauri de Medeiros, no centro da cidade, são obrigados a reduzir em mais de 90% a velocidade de seus automóveis para não terem a suspensão de seus veículos danificados. Nem ao menos um paliativo, uma piçarrada para esconder os buracos e a sujeira, a atual administração tentou fazer!

Pensa que terminou? Outro ponto de dar vergonha é o trecho da Avenida Agamenon Magalhães que dá acesso a BR 232, uma verdadeira tábua de pirulito. Do hospital Dr. Paulo da Veiga Pessoa ao Posto Petur, na Av. 15 de Novembro, o descaso é nítido!

Porém, não são apenas os condutores que convivem com essa triste realidade em Gravatá, mas os pedestres também. São incontáveis as ruas que vivem completamente esburacadas e em alguns trechos nem existem mais calçamentos.

A grande verdade, é que a população não enfrenta isso de agora, há anos a principal preocupação dos gestores da cidade têm sido apenas com festas e eventos o ano inteiro. Com a desculpa de que a economia local está em alta e o nome da cidade está em destaque, a cada ano essa história se repete com milhões e mais milhões em contratações de bandas e artistas enquanto a população padece com a falta do básico no dia a dia.

Entendemos que em Gravatá, o investimento no turismo é essencial, contudo o investimento nas pessoas deve ser indispensável. Enquanto a atual administração não entende isso, os gravataenses ainda têm de enfrentar essa dura realidade.

Editorial
Jornal Folha Regional

Nenhum comentário

Postar um comentário

Você tem alguma informação? Nos envie pelo nosso Zap: (81) 99772-8280
© Diretos reservados | Jornal Folha Regional 2019
Ligue e anuncie conosco (81) 9 9772-8280