FECHAR

.....

.....

.

.

ÚLTIMAS

EDITORIAL: Parte da imprensa reproduz inverdades sobre caso de paciente em Chã Grande

A cozinheira Marli Gouveia

Não é de hoje que duas palavras vêm sendo repetidas nos principais veículos de comunicação do País. As palavras "fake news", que significam literalmente "notícias falsas", não são encontrados apenas em mensagens nas redes sociais, mas também em alguns grupos que profissionalmente tentam prestar serviços de jornalismo porém sem nenhuma investigação concreta dos fatos.

Foi exatamente isso o que aconteceu com uma notícia divulgada na quinta (03/05) onde a cozinheira Marli Gouveia teria perdido os movimentos das pernas "após" ser aplicada uma injeção de dipirona recomendada por um médico do plantão local do Hospital Geral Alfredo Alves de Lima (HGAAL), em Chã Grande. Não demorou muito até que uma enxurrada de postagens começou a ser publicada em muitos sites e blog's - e até personalidades políticas - , especulando que Marli teria sido vítima de um mal atendimento hospitalar, tendo o seu nervo ciático atingido por uma das profissionais da enfermaria do plantão.

Naquele momento, ficou subtendido que a paralisia que acometeu Marli Gouveia foi unicamente por conta da suposta injeção. Diante dos fatos, o HGAAL através de sua diretoria, iniciou uma verdadeira análise para finalmente averiguar qual teria sido a causa da paralisia.

Embora tenha sido realizado alguns exames prematuros, ficou constatado até aquele momento que o nervo ciático de Marli não estava atingido. Ou seja, em primeiro caso foi feito um verdadeiro pré-julgamento malicioso contra a unidade hospitalar como também da profissional de enfermagem que teria aplicado a injeção. A pressão foi tão grande, que a enfermeira acabou sendo afastada do seu ofício sem ter nenhuma responsabilidade.

Enquanto alguns blog's faziam "Ctrl C" e "Ctrl V" sem nenhuma responsabilidade para com a imagem dos profissionais da saúde que atenderam Marli, no último sábado (05/05) foi descoberto após uma ressonância magnética, que a cozinheira sofria de uma hernia de disco e teve um de seus nervos comprimidos atingindo assim os movimentos das pernas.

Obviamente a injeção de dipirona não foi a causa da hernia de disco, contudo, sem saber, talvez a injeção teria contribuído para compressão dos músculos da coluna, algo que ainda está sendo investigado.

Mas, ficam algumas reflexões quanto a tudo o que você vê e lê na internet: quem é a autoridade no assunto do texto que você está lendo? Qual a formação profissional do editor do site ou blog que você leu? Você examinou o texto da manchete que você compartilhou nas redes sociais? (Uma pesquisa americana mostrou que quase 60% das pessoas compartilham notícias sem ler o conteúdo por inteiro).

Quanto a Marli, com certeza ela irá andar e em breve voltar ao seu convívio social, mas e quanto à imagem dos profissionais denegridos? Qual destes sites, blog's e personalidades políticas voltará para informar a real versão do caso?

Editorial
Jornal Folha Regional

Nenhum comentário