FECHAR

.....

.....

.

.

ÚLTIMAS

COLUNA: Porque bebês só devem ingerir leite de vaca após o primeiro ano



Você sabia que o Leite de Vaca só deve ser introduzido na alimentação do bebê depois do primeiro ano de vida?


O sistema de defesa do nosso corpo se sensibiliza muito fácil com certos antígenos (o que o corpo considera como perigo) que estão presentes em nossa alimentação, e não é diferente no organismo dos bebês. A resposta do corpo a algumas proteínas e aditivos presentes nos alimentos, levam a várias manifestações indesejáveis, levando a alergias alimentares.

O leite, ovo, trigo, soja, peixe, amendoim, nozes e frutos do mar são alimentos com alto potencial sensibilizante, quando introduzidos na alimentação do bebê muito precocemente, podem levar a alergias. Dentre esses, o leite de vaca é o mais presente, a Alergia à Proteína do Leite de Vaca (APLV) é a alergia mais comum nessa fase, devido a introdução do Leite de Vaca na alimentação do bebê no lugar do leite materno.

A APLV pode causar náuseas, vômitos, cólica, diarreia, rinite, asma, coceira, edema (inchaço), dermatite, otite, dentre outras manifestações clínicas, também está associada ao desenvolvimento de várias doenças respiratórias.

A nutrição ressalta a importância da Amamentação Exclusiva até os 6 meses de idade, e a introdução de outros alimentos saudáveis após isso, o Leite Materno tem todos os nutrientes e defesas que o bebê precisa, importantes para o crescimento e desenvolvimento saudável. Além do vínculo mãe e filho que é fortalecido no ato de amamentar. Diferentemente do Leite de Vaca que possui grande quantidade de proteína, sódio, potássio e cloreto, e pequena quantidade de lipídeos essenciais, vitaminas e minerais, além do seu potencial alergênico, sendo inadequado para as necessidades do bebê.

Fontes: 
FERREIRA, S. et al. Alergia às proteínas do leite de vaca com manifestações gastrointestinais. Nascer e crescer, 2014. 
PEREIRA, M. et al. Introdução precoce do leite de vaca associado a doenças respiratórias. Conbracis, 2018

Mylena Félix é Nutricionista e colunista do Jornal Folha Regional

Nenhum comentário