ENTREVISTA: Eudo Magalhães - Um jovem de visão em Primavera

DIÁLOGO Criado por uma família de vida pública, Eudo Magalhães fala à Folha sobre suas metas 
e estratégias para disputar as próximas eleições em Primavera, na Mata Sul do estado.

Arquivo Pessoal / Reprodução Folha Regional

Com um discurso leve e bem centrado nas questões sociais que envolvem o município. Primavera, na Mata Sul de Pernambuco, passou a conhecer um pouco mais o jovem empresário, empreendedor e corretor de imóveis profissional, filiado ao CRECI-PE (9606), Eudo Magalhães Júnior, 38.

Filho natural de Palmares, também na Mata Sul, Eudo foi atraído pelas belezas naturais presentes em Primavera. Em 2012 chegou à cidade junto com a esposa e as duas filhas. Desde então, tem conhecido de perto os dilemas que a população primaverense enfrenta diariamente.

Folha – Você pertence a uma família tradicional na política da região, essa ligação foi importante para você também seguir na política?
Eudo – Sim, sem dúvida, minha família esta na política há 40 anos. Sempre convivi com gestores públicos, meu avô foi vereador e vice-prefeito de Garanhuns. Meu tio foi prefeito de Palmares, hoje a minha prima, Carolina Magalhães é a atual vice-prefeita. Meu pai, por oito anos geriu o município de Água Preta e por 04 anos o município de Joaquim Nabuco e está no primeiro mandato como prefeito da cidade de Xexéu. Tenho ótimos exemplos no que se refere a trabalhar em prol do povo. Meu pai ganhou com 55% dos votos e hoje está com 92% de aprovação nas pesquisas internas, devendo até ser candidato único nas eleições deste ano. Meu irmão Noé Magalhães é vice do meu pai e Clodoaldo Magalhães, meu outro irmão, é Deputado Estadual pelo terceiro mandato.

Folha – Como foi esse período, desde a sua chegada em Primavera?
Eudo – Cheguei a Primavera em 2012 e permaneci elaborando vários eventos com o objetivo de melhorar a economia do município.  Realizamos trabalhos sociais, tanto na zona urbana quanto na zona rural. Acredito que boas intenções são importantes, mas elas por si não fazem um líder. É pre-ciso uni-las à competência. E foi isso que fiz, identifiquei as necessidades do povo garantindo a efetividade dos trabalhos sociais.

Folha – As pesquisas e levantamentos apontam que o município de primavera possui um dos mais baixos índíces no quesito desenvolvimento humano. Qual a avaliação que você faz dessa situação?  
 Eudo - Falta de governo! O foco é governar para o povo, em prol de melhorias, ser um mau administrador é um pecado forte. Não há dúvidas que estes últimos 20 anos, Primavera foi administrada por prefeitos despreparados, sem qualquer tipo de conteúdo. São gestores repletos de falhas, erros inadmissíveis, que não evoluem a título de conteúdo, conhecimento e gestão. Eu vou criar um ambiente que favoreça a motivação. Um bom governante precisa conhecer técnicas modernas de administração, é gerir para o povo. Governantes com o meu perfil vem inovando na política brasileira, oxigenando a administração pública e abrindo a visão para uma nova política, pautada em competência, conhecimento e técnicas. Volto a dizer: boa intenção sem ação não resolve. Vou transformar Primavera, tais índices não permanecerão frente ao trabalho que vou desenvolver.

Folha – Quais outros problemas são visíveis em Primavera, a partir de seu ponto de vista?
Eudo – A saúde é um descaso, Primavera hoje não têm médicos nem medicamentos para atender a população. A zona rural vive praticamente abandonada, sem qualquer tipo de atendimento médico, com o povo entregue a própria sorte. A educação é outro grave problema, os professores não são bem remunerados, os colégios estão em péssimas condições de funcionamento, não há garantia mínima de merenda para os alunos. A rede escolar hoje conta apenas com 2.200 alunos. Entendo que podemos ter meta, garantindo no mínimo 6 mil alunos. Um exemplo positivo é Xexéu, uma cidade do tamanho de Primavera, mas que tem 6 mil alunos  na rede municipal. O Ideb de Primavera é um dos mais baixos do Brasil. O Fundeb só arrecada R$ 500 mil, onde era pra se arrecadar muito mais que isso. A Cachoeira do Urubú, ponto turístico, vive abandonada. Estudo realizado com 184 países revela o crescimento do turismo no Brasil. Hoje o brasil é o 6º no mundo em economia nesse segmento. Vou investir e explorar as belezas naturais que Primavera tem, gerando mais trabalhos, movimentando a economia do município e elevando o nome de uma terra de pessoas guerreiras que necessitam de oportunidades.

Folha – O que você têm sentido na população de Primavera nos últimos anos?
Eudo - Sentimento de mudança, que certamente vai fazer com que este povo tão querido aposte em um gestor com visão, que valorize o povo dessa terra. Certamente viveremos uma nova história em Primavera. Fazem 20 anos que o povo aposta em um governante comprovadamente fracassado. Para melhorias, para crescermos é preciso mudança, e juntos, eu e o povo, formaremos uma nova história.

Folha – Sabemos que o período eleitoral ainda não iniciou de fato. As convenções para indicações de candidatos devem ocorrer até agosto. Mas como é que está a sua base aliada?
Eudo – Hoje nós temos dois vereadores de mandato compondo a base. Teremos, provavelmente, algo em torno de 22 candidatos a vereadores, formando um verdadeiro chapão.

Folha – E as conversas com os demais partidos políticos?
Eudo – Estamos concretizando as conversas. Estamos com algumas siglas partidárias, como o PR, PSL, PSC, PTC e PRB. Esses já estão conversados, já fazem partem do grupo.

Folha - O que você pretende apresentar ao povo de primavera durante os próximos meses?
Eudo - Uma política renovada, com idéias novas e postas em prática. Quero governar junto com o povo, realizar uma gestão em conjunto, acompanhando todos os trabalhos, investindo em educação que é a base para a liberdade. Chega de sofrimento, chega de valores invertidos. Saúde, educação, lazer, moradia, trabalho, são direitos garantidos constitucionalmente e nenhum político sério podem violá-los.

Folha - Qual a mensagem que fica para a população de Primavera nesse momento?
Eudo – Não vamos desistir desta terra querida, a esperança se renova. Dias melhores virão com força, fé e coragem. A mudança depende da vontade do povo e tenho certeza que o povo de Primavera quer ser valorizado. É impossivel progredir sem mudança e aqueles que não mudam suas mentes não podem mudar nada. Então vamos focar nossa indignação em iniciativa para tranformarmos nossa querida Primavera.